Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Controversa Maresia

um blogue de Sofia Vieira

Controversa Maresia

um blogue de Sofia Vieira

fim

por Vieira do Mar, em 01.06.09

Engraçado, como sabemos sempre quando chega o fim. Às vezes, anos depois, quando alguém nos pergunta como é que soubemos que tinha acabado, somos capazes de identificar aquele exacto instante em que o cansaço por fim nos vence, em que baixamos os braços e capitulamos, de certo modo aliviados. Nunca nos esquecemos desse momento de luz: a clarividência do fim deixa uma marca indelével nos corações exauridos. Não é exactamente um acto consciente, surge porque alguma coisa exterior  nos varre para sempre a vontade; às vezes, é um pormenor de vão de escada,  outras, um comboio de mercadorias,  que nos passa por cima e continua para além de nós e daquilo que definimos como os nossos limites.   Quando chegamos a este ponto de não retorno já teremos feito em princípio muita coisa contra a nossa  natureza, mas que nos pareceu aceitável e suportável, em nome de um qualquer bem maior: um prazer, uma missão, uma conquista, uma experiência única, um projecto de vida. Até que esse bem deixa de ser maior  (deixa até de ser um bem), e as concessões e os apaziguamentos já não têm  cabimento: a cada dia, a cada hora, minuto, segundo, têm  menos cabimento, até que ficam vazios de sentido. Até que se dá um disparo bruto da consciência e  realizamos que o presente já não está no modo como até então imaginámos o futuro.

Comentar:

CorretorMais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Mais sobre mim

foto do autor

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2007
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2006
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2005
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2004
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D