Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Controversa Maresia

um blogue de Sofia Vieira

Controversa Maresia

um blogue de Sofia Vieira

paris e futebol

por Vieira do Mar, em 17.06.08

No dia do primeiro jogo de Portugal estávamos em Paris e  resolvemos assistir ao jogo num restaurante onde habitualmente se reúne a “comunidade portuguesa”. Rapidamente concluímos que tínhamos poucas saudades das febras, dos frangos assados, das mines, do carrascão e dos empregados a servirem-nos por especial favor, e optámos por uma brasserie lá perto,  com um ecrã gigante. Onde, é claro, também havia  um empregado português, mas este já sujeito às regras de bem servir francesas, pelo que não tivemos de lhe implorar pela comida,  nem que nos matasse a sede. Depois da vitória, começámos a ouvir buzinas e gritos cá fora; nada de estranho, afinal, estávamos numa espécie de cantão português. Mas, a caminho dos Campos Elíseos, o barulho, em vez de diminuir, aumentava. Em menos de uma hora, a principal avenida  francesa estava apinhada com milhares de portugueses, de carro e a pé, que pura e simplesmente pararam o trânsito e comemoraram como se Portugal tivesse ganho o campeonato. Eram maioritariamente portugueses de segunda geração, miudagem que não sabe sequer dizer “Portugal” e diz “Pórtiugale”. Paravam os carros quitados em segunda fila, abriam o porta bagagens, de onde saíam duas colunas de som gigantes, e punham no máximo coisas como o bacalhau quer alho e o arrebita, arrebita, arrebita, bem em frente a uma das lojas mais bonitas e luxuosas do mundo, a da sede da Louis Vuitton, num estranho paradoxo sonoro e visual. A reacção à polícia que, impávida e serena, ia passando, era de alguma provocação, mas sempre aquém de quaisquer excessos que pudessem levar à intervenção desta. Tudo soft e à boa maneira portuguesa, portanto. Aliás, a polícia francesa (pelo menos a parisiense) tem esta atitude que me parece admirável, que é a de só intervir quando as liberdades dos outros estão em causa. O trânsito em Paris, por exemplo, é uma eficiente contravenção em todas as direcções, porque só assim é possível a circulação simultânea de alguns milhões de pessoas: uma gestão de bom-senso, portanto. Bom, mas retomando o que estava a dizer: os poucos franceses, e os restantes estrangeiros, que conseguiam furar as barreiras formadas pelas bandeiras, a gritaria e a péssima selecção musical, respondiam com “Morue! Morue!” e “Ronaldô”, olhando os portugueses com aquela curiosidade divertida que se dispensa a uma cultura alienígena. Estranho, aquilo,  ver cidadãos franceses, nascidos em França, alegando súbita pertença  a um outro país que, se calhar, nem conhecem, exprimindo-se numa língua que falam mal, e fiéis a tradições que já só o são fora desse outro país, como os ranchos folclóricos ou o vira. Fiquei com a sensação de que ser português, lá fora, continua a ser o sonho de um dia deixar de ser português, embora não se saiba bem como.  Já aqui o disse, eu sei, mas mais uma vez  a ideia assaltou-me em força: parece que não há maneira de nos livrarmos disto, desta mediocridade endémica que nos faz sermos sempre iguais à caricatura que os outros fazem de nós.

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Mais sobre mim

foto do autor

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2007
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2006
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2005
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2004
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D

Favoritos