Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Controversa Maresia

um blogue de Sofia Vieira

Controversa Maresia

um blogue de Sofia Vieira

...

por Vieira do Mar, em 30.07.07
atravesso a praia de Vilamoura e aterro,
incauta, no novo conceito de “férias com glamour” para os que “querem aparecer”: o “Nikki Beach” de um lado e o “Sasha” do outro, sendo que, em ambos os casos, apenas um adjectivo me ocorre: pindérico. É de uma pinderiquice pegada, o novo sonho de um dia de Verão dos casalinhos portugueses que querem ser como os dos revistas; elas, como as Merches, as Pituxas, as Cinhas, as “Moranguitas”, as Sorayas, as Ritas e as Dianas; e eles, como os fefês e os jotapecês, que exibem duvidosas masculinidades bronzeadas. Ali estão, meia dúzia de deslumbrados de shot na mão, alcandorados nas chaise longs e nas camas palafitadas, envoltos em mosquiteiros, convenientemente resguardados do “incómodo” que é a areia (como dizia uma entrevistada), à espera da “massagem”, enquanto ouvem (eles, e a praia toda) trance-dance-house-ou-lá-o-que-é-aquilo (tum-tum-tum-tum), numa doce ilusão bacoca de “luxo”, “glamour” e “modernidade”. É certo que cada um se diverte como quer, e se alguns se divertem a largar dezenas de euros para os bolsos de uns espertalhões que inventaram o “conceito” de “praia privada” e lhes impingem uma pobre imitação da polinésia francesa ao lado do pontão de Quarteira, então, que o façam, e todos ficam felizes. O pior é que o exibicionismo que, necessariamente, acompanha esta suposta “exclusividade paga” implica a privatização das praias e o seu “barramento” à plebe, que somos nós que, armados de pás, baldes, colchões, e garrafas de água fresca, queremos apenas espojar-nos na areia e nas águas caldas algarvias, como pobres não privilegiados que somos. Estavam quarenta graus. E uma corda proibitiva seguia ao longo da praia em frente ao Tivoli Marinotel. Tivemos que andar e andar e andar, até termos acesso ao areal e ao oceano. E, mesmo assim, relegados para a beira-mar, proscritos, que acima da linha da maré só os “ricos”, os “bem-nascidos”, os privilegiados, - ou seja, os pacóvios. Vem-me à mente uma imagem dessa manhã: o espertalhaço do “Gigi”, o do famoso peixe-fresco-trazido-directamente-à-praia-pelos-pescadores, o do Ancão, a abastecer-se na lota de Quarteira. Ao contrário do que dizia um dos “promotores do projecto em Portugal”, na televisão, aquela não é gente da classe média-alta (esses, a essa hora, andavam nos iates), mas sim da classe média-a-cair-para-o-baixo, que não se importa de gastar o que tem para viver a breve ilusão de que também tem vida de “revista”, de “rico”, e que, por isso, também merece ser servida por criados de bandeja e massajada por meninas de umbigos bronzeados, à sombra de repuxos de água fresca, almofadas e mosquiteiros brancos. Gente que não entende que o verdadeiro “luxo” não se consegue com alguns voiles a tapar um pontão, nem com não sei quantos decibéis a abafar o arrulho do mar e meia dúzia de algarvios bronzeados e subservientes. É que, em não se podendo pagar a verdadeira polinésia francesa, o verdadeiro “luxo” está ali mesmo ao lado, numa sardinhada acompanhada de batatas com pele e regada a imperiais, com vista para uma das praias escondidas da Ria Formosa, ou mesmo numa qualquer praia solitária e ventosa da nossa costa mais a norte e ainda por descobrir. Isso é que é luxo e “exclusividade”. E é grátis, ainda por cima (porque nem tudo o que é bom tem de ser pago a preço de ouro).

Mais sobre mim

foto do autor

Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2010
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2009
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2008
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2007
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2006
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2005
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2004
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D