Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Controversa Maresia

um blogue de Sofia Vieira

Controversa Maresia

um blogue de Sofia Vieira

...

por Vieira do Mar, em 08.11.07
as putas saudáveis




Há uma nova tendência na blogoesfera: as putas saudáveis. As putas saudáveis (PS) são gajas (ou gajos a fingir) entre os trinta e os cinquenta anos, ferozmente anónimas, que correm dez quilómetros por dia e adoram sushi. Que, aliás, só comem sushi e umas coisas com nomes difíceis que elas lá cozinham e a que adicionam ingredientes como rúcola e gengibre. Que não têm celulite nem mamas e têm muito orgulho nisso. Que usam sempre os cabelos compridos e na sua cor natural (tipo negro azeviche ou ruivo cor de fogo) e desprezam mulheres com madeixas, expressão que cospem com nojo mal-contido. Para quem todas as mulheres são gordas e feias (excepto as mesmo feias, nas quais gostam de descobrir a beleza interior), e todos os homens, uns trastes mentirosos. Que acham que ancas e rabos são curvas mais traiçoeiras que a do Mónaco e que as outras mulheres são todas umas grandes vacas, por isso elas, as PS, não têm amigas - só fãs, que as lêem. Que são sexualmente frustradas e orgulhosamente sós, pois já viram de tudo: as sobreviventes, portanto. Que às vezes também têm filhos, cuja privacidade resguardam com afinco, inventando-lhes, aos Martins, Lourenços e Salvadores, nomes comuns, como Pedro e João. Não obstante, raras vezes falam neles e, quando o fazem, é normalmente porque precisam de acentuar uma feminilidade que não transparece da sua escrita rude e azeda, mascarada de cinismo. Que desprezam a classe média e as suas manifestações de riqueza remediada porque não têm onde cair mortas e acham que são mais livres do que os outros por isso. Que se demarcam das que compram na Zara, porque a Zara é barata e democrática e é onde (julgam elas) se abastecem as manicures. Que não têm o menor jeito para a caracterização de tipos sociais, mas acham que sim. Que não têm um crlho de sensibilidade para o que lhes passa em frente ao nariz, mas que se indignam muito com as injustiças colectivas que assolam a humanidade e se emocionam com o sulcar das rugas no rosto tisnado de uma velhinha que um dia viram passar. Que odeiam qualquer tipo de associativismo e que se acham bestialmente cool por serem umas não-alinhadas. Que têm orgulho em serem umas cabras. Que dizem estarem-se nas tintas para a figura e para o que pensam delas, pois gostam é de andar confortáveis de salto raso, mas não deixam de salientar que lhes vão bem os saltos agulha e que se enfiam facilmente numas calças 26. Que se iniciaram no comprazimento sexual com um henry miller roubado da biblioteca do pai - que foi o único homem decente das suas vidas. Pai, esse, que nunca é condutor da carris ou simples marceneiro, mas quase sempre um revolucionário de esquerda, protector e romântico, de contornos quixotescos. Que têm mães que são exemplos de coragem e sabedoria, e nunca simples donas de casa que passajavam bainhas à espera dos maridos. Que tiveram avós extraordinárias, com quem aprenderam grandes lições de vida. Que já leram muito, embora não o andem para aí a alardear, como as outras, que falam de Tolstoi no blogue enquanto exibem o tornozelo e o decote, as cabras. Que têm recorrentes reminiscências infantis de sítios longínquos e coloridos como África ou Macau, onde conviveram alegremente com os nativos e onde um dia foram muito mais felizes do que o que são agora, enjauladas que estão, como bichos selvagens, em apartamentos na cidade (mas sempre com vista para o rio). São as putas saudáveis.

Mais sobre mim

foto do autor

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2006
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2005
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2004
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D