Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Controversa Maresia

um blogue de Sofia Vieira

Controversa Maresia

um blogue de Sofia Vieira

...

por Vieira do Mar, em 28.12.04
conto de natal




Haviam-se empanturrado de azevias, filhozes, fatias paridas e sonhos. Ele olhava com laivos de enjôo para o esqueleto do perú, ao abandono em cima da toalha adamascada, e para os copos de cristal meio vazios de tinto reserva. Reparou nas dedadas e nas marcas delábios na borda dos copos sujos e fixou-se estupidamente nelas, como se os gritos dos miúdos, as sentenças dos avós comodamente sentados nos sofás com o chá digestivo nos joelhos e os gorgolejos televisivos do Pavarotti no concerto de Natal, fossem apenas ruído de fundo ou música de elevador. As olheiras dela assinalavam-lhe o cansaço como uma seta apontada aos anos que efectivamente tinha mas não parecia. Um avental com nódoas de recheio tapava-lhe o vestido de noite preto e os sapatos de salto haviam sido atirados para o chão da cozinha a meio da confecção do leite-creme. Ele fingia ouvir os primos distantes a descrever os invejáveis progressos feitos na escalada da vida, enquanto pensava nas dedadas nos copos, nas olheiras dela e nos seus pés descalços, que iam e vinham da cozinha em silêncio. De cada vez que regressava à mesa, ela mergulhava o indicador no açucar das filhozes e levava-o à boca, sem saber que ele via naquele gesto um sinal urgente, como um verylight disparado numa noite escura. Sorrateiro e ansioso, esgueirou-se para a cozinha como um miúdo que salta uma cerca para ir apanhar a bola e, enquanto ela punha a loiçana máquina, ele ajoelhou-se e beijou-lhe os pés frios sob as meias de lycra. Ela fechou os olhos, apertando o esfregão bravo entre os dedos. Quando o filho mais novo entrou a pedir água, ele fingiu que estava à procura de um garfo caído aos pés dela e quando o filho mais velho entrou a perguntar pela mãe, ele ainda não tinha encontrado o garfo. Antes de saírem, ele conduziu-a ao quarto com a gentileza e a firmeza de quem ajuda um cego a atravessar a rua, tirou-lhe o avental sujo, vestiu-lhe o casaco, foi buscar-lhe os sapatos atirados para o canto do fogão e calçou-lhos, numa intencionalidade quase insuportável. Na missa, enquanto o padre contava a história de um menino que nascera para ossalvar e todos cantavam aleluia, ele pensava nas olheiras dela, nos copos manchados, no dedo mergulhado no açucar e no momento em que a libertaria dos saltos altos, dos primos, do perú, dos filhos, das meias de lycra, do esfregão bravo e das avós com o chá nos joelhos. No dia seguinte, manhã tardia, acordaram os dois no sofá da sala, embrulhados na toalha adamascada e entrelaçados um no outro como as raízes de duas árvores que cresceram juntas. Ao seu lado, os olhos aguados dos filhos fitavam o vazio da lareira apagada, recordando-os de que, no abandono da paixão celebrada noite adentro, o Pai Natal se esquecera de deixar as prendas no sapatinho.

Mais sobre mim

foto do autor

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2006
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2005
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2004
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D