Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Controversa Maresia

um blogue de Sofia Vieira

Controversa Maresia

um blogue de Sofia Vieira

debate na sic sobre os direitos dos animais III

por Vieira do Mar, em 23.04.09

O palhaço Cardinalli diz que o circo tem animais porque é disso que as pessoas gostam. Raciocínio básico, mas correcto, afinal temos o povo que temos: noventa por cento são palhaços cardinalli, what´s new?  Tal como gostam de circo, gostam de tourada, diz Guedes de  Carvalho. Pois. Entretanto, fala um  Ribeiro Telles jovem que comprova a minha teoria da consaguinidade. O representante da Liga dos Animais, agora, está muito bem, e fala de condicionalismo cultural para explicar a grande afluência às touradas. Faz sentido. No meio da discussão, o palhaço Cardinalli usa a expressão não tem dinheiro para o gasole. Ai.

debate na sic sobre os direitos dos animais II

por Vieira do Mar, em 23.04.09

O discurso do Palha toureiro é pobre e estúpido. Não sei se é da consaguinidade que existe nestas famílias tradicionais que se dedicam à coisa, em que os primos passam a vida a casar com os primos, mas esta gente é  tragicamente burra, nem sequer sabe defender com inteligência a sua dama... e depois isto do você pra cá, você pra lá, haja paciência. Nos antípodas da finesse social, o palhaço Cardinalli diz, a propósito da alimentação dos animais, que numa determinada terra vendem reção. Infelizmente, os rapazes que estão lá a defender os bichos estão um bocado atrofiados. Valha-nos o Rodrigues Guedes de Carvalho.

debate na sic sobre os direitos dos animais I

por Vieira do Mar, em 23.04.09

À beira de um ataque de nervos, eu.

O Palha toureiro diz que o touro não sofre porque não foge da lide; se fugisse, era sinal de que sofria;  um anormal da assistência cujo nome não sei diz que ninguém tem mais amor pelos animais do que os aficionados. O palhaço Cardinalli também acha que o touro não sofre embora não saiba porquê, olhem, porque sim, dá-lhe jeito. Acho que não vou aguentar até ao fim. Sofia, inspira, expira, calmex.

terra

por Vieira do Mar, em 22.04.09

esquizofrenia

por Vieira do Mar, em 21.04.09

O país está esquizofrénico e a comunicação social é a primeira a fazer eco desta doença mental que afecta globalmente a nação. Agora a moda é esmiuçar os recados que uns supostamente enviam aos outros por meio de discursos e declarações. Debulham-se intenções, procuram-se palavras não ditas, analisam-se pausas e gestos, e pergunta-se a opinião de terceiros, que para tanto  se reúnem em mesas redondas. Ridículo, coisa de doidos. Quando no fundo o que interessa é que a estúpida da esquerda,  com as suas divisões da praxe e os seus independentezinhos (armados em paladinos sociais, mas tão sedentos de poder como os outros), se não se põe a pau, perde a Câmara de Lisboa para o inenarrável Santana Lopes, e Sócrates, apesar do seu ego desmesurado e de  todas as suas disparatadas medidas,  ganhará as legislativas e as europeias próximas, porque Ferreira Leite será sempre Ferreira Leite, por mais photoshop político que lhe façam.

wait a minute baby stay with me a while

por Vieira do Mar, em 19.04.09

oh sim!

por Vieira do Mar, em 18.04.09

... tenho um novo blogue secreto.

não quero nem saber

por Vieira do Mar, em 15.04.09

Não sei como vai o caso freeport, nem o casa pia, nem o apito dourado, nem que desmandos andam por aí a fazer, os principais representantes dos nossos orgãos de soberania e afins, deixei de ver telejornais nacionais. A mediocridade intelectual das nossas classes política e judiciária, compostas essencialmente por bimbos  orgulhosos da sua infância de plantadores de couves,  que trazem ainda incorporado o chip do temor reverencial ao senhor da terra (hoje em dia, um bimbo-mor qualquer  apenas um bocadinho mais acima na cadeia alimentar), faz com que já nada do que possam dizer ou fazer me espante, tanto de um lado como do outro. Perdi completamente a paciência para declarações, contra-declarações e declarações contrárias às contra-declarações, todas vazias de significado. Na prática, cada corporação, priorado, associação, assembleia, concelho ou puro e simples grupo de malfeitores,  continua a fazer aquilo que muito bem entende, sem qualquer sentido de Estado, nas tintas para as pessoas e para a justiça com jota grande. Parecem todos umas sopeiras armadas em finas,  umas elizas doolittle na fase intermédia de aprendizagem, quando ainda se nota o sotaque das berças e a mão lhes foge para a anca mas, com esforço,  lá evitam a gritaria.  Não há pior do que estas meias tintas institucionais em que o país vive, feitas de insinuações, de dizquedisses, suspeitas, bocas, mentideros e desmentidos. E  a comunicação social, de uma domesticidade confrangedora, a chafurdar nos seus próprios  objectivos,  imediatos e comezinhos, não ajuda; antes, contribui para o nojo e o tédio de quem a ouve e lê.  Faz falta quem pegue fogo a este circo.

always look on the bright side of life

por Vieira do Mar, em 11.04.09

 

Uma boa Páscoa para todos - crentes e pagãos (como eu).

aproveitar a insónia para desenvolver

por Vieira do Mar, em 11.04.09

Houve qualquer coisa que me desagradou em Slumdog Millionaire, que só agora vi. Tenho sempre alguns problemas quando a miséria humana me é servida com leveza multicolorida e ao som de música gira. Não é que a pobreza no cinema tenha que ser obrigatoriamente vista, sei lá, da perspectiva documental do neo-realismo italiano, mas o pendor panfletário de Danny Boyle  torna-se um bocado irritante, e é óbvia a tentativa de manipulação dos sentimentos de quem assiste.  A historieta de amor à Bollywood é uma chachada, e o volte face final na personagem do irmão mais velho, improvável e quase a roçar o  inverosímil (tal como inverosímeis são algumas das coincidências que vão compondo o destino do protagonista). Em suma, não é de todo o melhor filme do ano; antes um filmezinho que dispõe bem (sendo que me atazana um bocadinho, do ponto de vista moral,  o facto de um filme que aflora os horrores da mendicidade infantil na Índia, acabar por me dispor bem).  

Mais sobre mim

foto do autor

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2006
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2005
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2004
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D