Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Controversa Maresia

um blogue de Sofia Vieira

Controversa Maresia

um blogue de Sofia Vieira

indiana jones e a iada iada

por Vieira do Mar, em 26.05.08

Fui toda entusiasmada, mas deparei com uma colagem sem nexo de algumas boas ideias - que se perdem numa voragem de sons e imagens -, várias falhas ao nível das narrativa e montagem, e a inverosimilhança total de algumas cenas. É um filme desnecessário, que nada acrescenta a uma trilogia da qual sou absolutamente fã e que revi inúmeras vezes. Fica-nos a sensação de muito dinheiro jogado fora. Harrison Ford e Karen Allen repetem os estereótipos do primeiro filme e não há nenhuma densidade dramática nas personagens, que parecem de banda desenhada- nem a tensão pai/filho é devidamente explorada, como acontece no terceiro filme -, e isto apesar do meu fraquinho adolescente por Shia LaBeouf, um miúdo bestialmente giro e talentoso que vai dar muito que falar. Cate Blanchett é perfeita, mas não salva a função. Nem os efeitos especiais, igualmente perfeitos, mas que se atropelam no ecrã sem o competente suporte místico/histórico/filosófico. Que é o mesmo que dizer: a história não tem piadinha nenhuma. Desta vez, Steven Spielberg não faz a  magia.

a pestilência do fim do dia

por Vieira do Mar, em 26.05.08
No fim de um dia de escola, a rapaziada entra no carro. O cheiro que imediatamente se espalha é assim um misto de queijo azedo e de vomitado (dos pés) com uma espécie de caldo knorr (dos sovacos).



Eu: Ai Diogo, cheiras tão mal, abre-me a tua janela por favor!


Ele: Estive a jogar futebol, mãe, estou todo suado, não tenho culpa…


Eu: Eu sei que não tens culpa, mas olha que é difícil de aguentar…


Ele: Ah mãe, eu gosto: É cheiro a HOMEM!

medo

por Vieira do Mar, em 26.05.08

 A coisa não me interessa sobremaneira, dado que nunca votei PSD. O que não quer dizer que não pudesse vir a votar, uma vez que o governo de Sócrates me tem vindo a, de forma muito concreta, lixar a vida. A questão, no entanto, não se coloca, uma vez que o PSD está muito longe ainda de se tornar uma alternativa credível de governo. Ao contrário dos optimistas, que vislumbram a esperança após um debatezeco de meia hora em que todos estavam ensaiados e as questões foram debatidas superficialmente, não vejo futuro sério para o partido com qualquer um destes candidatos. Passos Coelho é um miúdo, Ferreira Leite, uma tecnicista empedernida suavizada pelo colorido da maquilhagem, Patinha Antão, alguém com nítida dificuldade em transmitir as ideias, e Santana Lopes… bem, Santana Lopes é Santana Lopes, o inenarrável… Ele sabe que o povo (neste caso, a amostra de povo que são as bases) é estúpido e tem memória curta. O que, aliado às suas demagogia simplória e infinita capacidade de resistência, o torna perigoso. Muito perigoso. Que o seja para o PSD, tal como disse, é-me razoavelmente indiferente; que o seja para o país, já é outra conversa. O que me obriga a, contrariada,  seguir estas directas com alguma atenção. Medo.

ministra da igualdade

por Vieira do Mar, em 25.05.08

 

Nunca uma pasta foi tão adequada à sua titular: todas as mulheres gostariam de ser iguais a ela e todos os homens gostariam de ter uma igual em casa.

manuela moura guedes

por Vieira do Mar, em 23.05.08

 

Manuela Moura Guedes entrevista os quatro candidatos à liderança do PSD. Está bem, muito bem. A pegar na resposta de um e a atirar a bola a outro. Muito longe do modelo anódino e subserviente da SIC. Olhem-na a perder a paciência com Santana Lopes… Como eu a entendo. Agora o desprezo de Ferreira Leite a olhar de lado Patinha Antão, quando este afirma que ambos têm “percursos semelhantes”. Disto é que eu gosto: pormenores. Era capaz de ficar aqui até isto acabar, a Manuela promete (a pontinha de loucura que lhe baila nos olhos apimenta decididamente as coisas) e a seguir, ainda por cima, vem o Vasco Pulido Valente. Mas vou ao cinema.
 
 

pormenores

por Vieira do Mar, em 23.05.08

Na reportagem que passa neste momento no Jornal da TVI, sobre o fosso entre ricos e pobres em Portugal, a pobre n.º 1 tem umas sandálias Fly que custam quase cem euros e a pobre n.º 2  tem umas unhas de gel pintadas à mão que não ficam por menos de setenta. Queixam-se ambas de que por vezes não têm que comer.

The Long and Winding Road

por Vieira do Mar, em 23.05.08

"The long and winding road
That leads to your door
Will never disappear
Ive seen that road before
It always leads me here
Lead me to you door..."

coitadinhas das criancinhas

por Vieira do Mar, em 20.05.08
Pais, psicólogos e até professores, têm-se revezado na televisão, preocupados com a nervoseira das criancinhas perante as provas de aferição. Parece que a “pressão” é muita. Eu, sempre disposta a diabolizar os poderes instituídos em geral e o Ministério da Educação em particular, acho no entanto bem que se façam estas provas, mesmo que não contem para a nota. Entendo que os miúdos devem ser testados, avaliados, classificados e cotejados a nível nacional, pois só assim se tem verdadeira noção do estado da Educação em Portugal e, em especial, da relevância da dicotomia escola pública/colégio privado. Além disso, é uma forma de responsabilizar desde cedo quem, hoje em dia, nasce e cresce amparado por cima, por baixo, enfim, por todos os lados. A sociedade babosa e permissiva que tudo faz para não os susceptibilizar ou contrariar, produto dos danieis de sá desta vida (ou será o contrário?), vai começar a pagar caro tanta preocupação inusitada, tanto cuidado extremo, em suma, tanta mariquice. Os miúdos estão a começar a sair de casa cada vez mais tarde, preguiçosos, acomodados e pouco preocupados em produzirem qualquer tipo de riqueza, se tal implicar demasiado esforço. Se não começarem a adquirir desde já hábitos mínimos de sacrifício, então, preparemo-nos para toda uma geração de amorfos e afins. Cada vez há mais trintões de barba rija que ainda cravam os pais para tabaco e preservativos e que cumprem horário de recolher. Parece que não tem nada a ver, mas estas coisas andam todas ligadas.

...

por Vieira do Mar, em 19.05.08

Ontem vi por acaso uma parte do novo programa de humor, Os Contemporâneos, que veio substituir os Gato Fedorento na RTP. Achei aquilo perto da indigência. Mas também vi pouco, posso ter tido azar.

eu podia ser esta mulher

por Vieira do Mar, em 16.05.08

" Gosto muito de Lisboa. O que escreve direito por linhas tortas saberá o que eu gosto de Lisboa e de caracóis no Ferro de Engomar, em frente à casa da mãe da Sofia e de sardinhas assadas no Coreto de Carnide, onde não se pode entornar nada ou mudar de pedido, sem sermos espancados com os olhos. Adoro. (...)"

Mais sobre mim

foto do autor

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2006
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2005
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2004
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D