Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Controversa Maresia

um blogue de Sofia Vieira

Controversa Maresia

um blogue de Sofia Vieira

com a devida vénia, o senhor é um boi

por Vieira do Mar, em 19.10.08

Fui alertada por uma amiga para as polémicas que devastaram os blogues 5 Dias e Corta-Fitas, nos últimos dias. Como estou com tempo a mais entre mãos e uma crise de preguiça que nem vos conto, resolvi tentar perceber o que se passou. As razões, afinal,  são as mesmas que sempre levam à cisão nos blogues colectivos: uns, não querem que os outros escrevam certas coisas, mesmo que todos assinem e se responsabilizem por aquilo que escrevem; ou seja, uns, não querem ficar manchados pelas opiniões dos outros com as quais não concordam. O que me parece  um nadinha absurdo e contrário à própria filosofia de blogue colectivo (embora cada um deva poder definir a filosofia que muito bem entende, já se vê). Em tempos escrevi num blogue colectivo só de mulheres, o Sociedade Anónima, de muito boa memória, e posso garantir-vos que aquilo era um grande forrobodó, pois não podia haver um conjunto de mulheres mais diferentes entre si. Por vezes detestava o que algumas das minhas colegas escreviam; achava medíocre, piroso, entediante, irrelevante… para não dizer que não concordava pura e simplesmente com as suas opiniões ou modos de estar na vida. Escusado será dizer que elas terão pensado o mesmo e outras coisas mais daquilo que eu escrevia. Esta divergência de gostos, de estilos e de opiniões, que de vez em quando degenerava numas inócuas  lutas na lama, era igualmente visível na heterogeneidade dos comentadores, essencialmente compostos por homens a bater uma em frente ao computador, mas não só: havia de tudo e para todos os gostos. Bom, isto para dizer que, a mim, nunca me passou pela cabeça deixar de escrever na SOCA por causa de certas parvoíces que lá lia, nem, muito menos, me ocorreu pedir à nossa Chefa que corresse com alguma das recrutas (nem ela aceitaria, claro, isto é só para efeitos de um supônhamos). Porque acho que um blogue colectivo é giro assim: com muita diferença à mistura e até um bocadinho de porrada interna de vez em quando, desde que não descambe - o que inevitavelmente acontece, daí acabarem todos, mais cedo ou mais tarde. Por isso, é fartar vilanagem enquanto a coisa dura e não descamba. É claro que é preciso haver uma Chefa como a que nós tínhamos que, com paciência e diplomacia, conseguiu durante dois anos que não nos esgatanhássemos todas em alegres cat fights. Quem não gostou foi saindo, acompanhada de um ou dois posts curtos e grossos com breves explicações e agradecimentos, ponto. E foi assim que a Soca se tornou no melhor blogue colectivo que a blogoesfera portuguesa algum dia conheceu, tendo deixado muitas saudades. No caso do blogue Corta-Fitas, pelos vistos com uma filosofia diferente,  o que aconteceu foi apenas uma tentativa concertada de censura a um dos membros.  Se foi justa ou legítima,  não sei nem me interessa, aliás, aquela merda, tal como esta merda, é apenas um blogue. E não cessa de me espantar, como sempre, a quantidade de horas gastas e o dispêndio de energia, por parte destes homens de barba rija, homens feitos, imagino que muitos com filhos, se calhar já avôs, em picardias tontas, em discussões fúteis sobre liberdades e democracias, em discursos emotivos sobre quem sai e quem fica… no blogue. Na merda do blogue. HORAS naquilo, meu deus… DIAS. E depois o tédio, para quem está de fora e os lê. Porque, como fazem gala de mostrar que são filhos família, muito educados, não há peixeirada deveras, mas apenas um venenozito suave destilado nas entrelinhas, e primeiro que se mudem de malas e bagagens para um blogue qualquer ao lado, fáxavor! Fosse a dissenção entre mulheres ( e SÓ entre mulheres!, quero eu dizer), e meia dúzia de mails à porta fechada bastariam para pôr um ponto final no assunto rapidamente, pois haveria jantares ou broches para fazer, camas para compor ou para desmanchar e banhos para dar… ou para receber. E quem viesse atrás que fechasse a porta, à chave e com duas voltas, por causa das correntes de ar e das romenas das radiografias (e ainda dizem que não há diferenças entre os sexos… yeah right).

Mais sobre mim

foto do autor

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2006
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2005
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2004
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D